Nepenthes

Planta Carnívora Nepenthes.

Nepenthes jamban (Foto @taerwetropicals no Instagram)

Nepenthes: Essa é uma planta muito especial. Possui no final das suas folhas , “jarros” que seria o “estômago” da planta. Há uma quantidade enorme de variedades de Nepenthes e muitos híbridos (cruzamento entre espécies diferentes). Esses jarrinhos, chamados de ascídio, tem uma tampa na parte superior que impede que a água da chuva caia em seu interior, dessa forma protegendo seu líquido digestório evitando que se perca pelo excesso de água. Embaixo dessa tampinha, há glândulas que secretam néctar. Atraído pelo néctar, o inseto pousa ou caminha pelo jarrinho até a borda, onde normalmente escorrega e cai no seu interior morrendo afogado. Bactérias e enzimas digestivas absorvem os nutrientes dos insetos. São plantas que gostam de muita claridade e sol moderado. Existem Nepenthes que são de highlander (plantas de altitude) e highlander (baixa altitude) além das intermediárias. O pode acontecer é que as Nepenthes de altitude tem mais dificuldades em se desenvolver aqui mas não é uma regra.

 

 

São plantas extremamente fáceis de cultivar. Veja:

Ficha de Cultivo para Nepenthes “Lowland” – Extraido da Conunidade Portuguesa de Plantas Carnívoras.

Napenthes bario (Foto de @taerwetropicals no Instagram)

Envasamento: Estacas podem ser plantadas em vasos como os de violeta até produzirem o primeiro jarro superior. Plantas adultas gostam de vasos naturais como os de casca de coco. Um vaso de uns 20‐25 de diâmetro e uns 20 de profundidade está literalmente de bom tamanho para uma planta adulta (que não gigante).

Substrato: Recomendamos usar uma mistura de musco sphagnum com perlita expandida na proporção de 70% de musgo sphagnum e o restante de perlita expandida. Pode ser adicionar chips de coco e casca de pinus a esta mistura. Isso vai deixar o substrato mais aerado. Há muitas receitas básicas de substrato e cada cultivador tem suas preferências mas a base é a citada. Nepenthes crescem bem em substrato que seja aerado e com alto poder de absorção de água.

Regas: Água nunca é demais. Regue por cima sempre que puder. São muito resistentes mas sucumbem lentamente em baixa umidade do substrato. Água abundante por cima uma vez por dia está ótimo ou conforme necessidade. Alguns dias sem água aparentemente não causam prejuízos (com substrato adequado). Prato de água por baixo só deve ser usado por cultivadores experientes (!), pois água parada rapidamente apodrece as sensíveis raízes e fatalmente a planta é perdida. Em dias ou locais secos pode‐se borrifar água nas folhas e jarros, elas adoram!

Luz: Como regra geral, muita luz, porém, indireta (!). Essa espécie faz parte de um grupo relativamente pequeno que suporta (senão gosta) de Sol direto‐Meia sombra, mas é muito importante (!) saber dosar. A planta ficará muito saudável e bonita em um lugar que pegue muita luz indireta. Sol direto só com experiência.

Clima: Tropical e Subtropical quente. Pode tolerar temperaturas baixas (5‐10° C) se a umidade se mantiver alta. 20° C em média é o ideal. Temperaturas muito altas causam um rápido ressecamento do substrato, o que aumenta a necessidade de encurtar o intervalo entre as regas.

Adubação: Só deve ser feita por cultivadores experientes ‐ As raízes são frágeis e podem sofrer bastante. Não é necessária para manter a saúde e beleza da planta – ela fica muito bem com seu solo, água e presas.

Alimentação: Elas se viram muito bem quando estão saudáveis (sempre capturam boa quantidade), mas se for notada uma não eficiência na captura de presas pode‐se alimentá‐la com insetos de exoesqueleto menos rígidos. Larvas de besouro (como Tenébrio molitor) são muito boas para esse fim. Não sobrecarregue os ascídios com muitas presas, pois isso causa apodrecimento do conteúdo e em seguida do próprio jarro.

Transplante: Quando a planta atingir um tamanho robusto (e o cultivador resolver não podar) ou o substrato se esgotar a planta pode ser transplantada para um vaso maior ou do mesmo tamanho (dependendo do objetivo). A primavera é uma boa época para isso. Estacas de mudas podem ser transplantadas assim que a primeira folha com mais de 5 cm de comprimento crescer. Deve‐se ter extrema cautela com as frágeis raízes nesse processo (!)

Ciclo de vida: Perene. Reduz o crescimento no inverno mas não possui dormência. A floração em cultivo é incerta e seus fatores pouco conhecidos.
Propagação: Por estacas do caule é a mais indicada pela praticidade e rapidez. Esse tipo de propagação é muito fácil para essa espécie que responde rapidamente ao corte. A propagação por sementes requer habilidade e paciência visto que muitos são os empecilhos para se obter e germinar as sementes e manter vivos os frágeis seedlings

Se tiver dúvidas, entre em contato pelo Fale Conosco.

Caso queira comprar plantas Carnívoras, acesse Onde comprar Plantas Carnívoras.